quarta-feira, 26 de março de 2008

Tentamos em vão teorizar o inteorizável, como se não soubéssemos que os sentimentos são (tão!) incompatíveis com as suas teorias.

Um comentário:

Té (que sou eu) disse...

O engraçado das teorias sentimentais é que as construímos baseadas no que já sentimos e no que outros dizem já ter sentido apenas para depois as alterarmos por completo ao sentirmos algo que não se enquadra. E passamos uma vida inteira a fazê-lo, a adaptar o que pensamos ao que pensamos ter sentido ;)